Blog


17/07/2018 Medicina

Mycoplasma genitalium: DST tem assustado médicos britânicos!

Conheça a doença sexualmente transmissível resistente a antibióticos e que está se espalhando no Reino Unido

Mycoplasma genitalium: DST tem assustado médicos britânicos!

Uma doença sexualmente transmissível tem assustado os médicos da Inglaterra, devido a sua crescente incidência e resistência a antibióticos para tratamento. Especialistas estão preocupados com o alcance da doença, o difícil diagnóstico e o tratamento dificultado pelo microrganismo apelidado de MG.

A doença se mostrou 40% resistente a determinado fármaco e apenas um medicamento tem mostrado resultado no tratamento. Fator que preocupa as autoridades inglesas de saúde e reforça a importância do sexo com proteção.

 

 

A Mycoplasma genitalium

A MG é uma bactéria que pode ser transmitida na relação sexual sem proteção, quando um dos parceiros está infectado.

Nos homens a bactéria causa a inflamação da uretra, causando dor ao urinar e secreção pelo pênis. Já nas mulheres, a MG causa a inflamação das trompas e do útero provocando dor, febre, sangramento e até a infertilidade.

O maior desafio para diagnóstico da doença, segundo os especialistas, é que ela nem sempre apresenta sintomas e pode ser confundida com outra DST, a clamídia que é mais comum aqui no Brasil por exemplo.

Além disso, a bactéria tem-se mostrado resistente aos tratamentos com antibióticos no Reino Unido. Pacientes tratados com antibióticos chamados de macrolídeos apresentaram uma resistência de 40%, de acordo com o levantamento da Associação Britânica de Saúde Sexual e HIV (BASHH).

No Brasil a proliferação dessa doença ainda não causa pânico, de acordo com informação divulgada pelo Ministério da Saúde. Entretanto, é preciso ficar de olho nos sintomas e nos pacientes, a fim de evitar que o quadro venha a se repetir em solo verde e amarelo.

Cabe aqui o reforço dos profissionais da saúde sobre a importância da proteção nas relações sexuais, mesmo com parceiros de longa data ou fixos.

Faça a sua parte na conscientização e compartilhe essa informação com seus pacientes, amigos, familiares e outros.

Assuntos relacionados: DST, DOENÇA SEXUALMENTE TRANSMISSÍVEL