Blog


22/06/2018 Estilo de Vida

Índice de obesidade estagna no Brasil, mas ainda é preocupante!

Quase 20% dos adultos é considerado obeso, ou está acima do peso, de acordo com o Ministério da Saúde.

Índice de obesidade estagna no Brasil, mas ainda é preocupante!

Nessa semana, o Ministério da Saúde divulgou dados inéditos sobre o índice de obesidade no Brasil. Os números são da Vigitel, pesquisa de vigilância da saúde realizada por telefone com 53 mil pessoas entre fevereiro e dezembro de 2017.

A pesquisa revelou que os índices de obesos ficaram praticamente estagnados nos últimos anos. No entanto, de acordo com os responsáveis pelo estudo, os números ainda são muito preocupantes e exigem atenção.

Dados da Vigitel

De acordo com o estudo 18,9% da população brasileira já é considerada obesa, ou seja, possui IMC (Índice de Massa Corporal) acima de 30. O sobrepeso, que é quando a pessoa está acima do peso ideal mas ainda não é considera obesa, atinge em torno de 54% dos brasileiros segundo a pesquisa.

O dado mais alarmante do estudo é que a obesidade entre os jovens aumentou 110% entre os anos de 2007 e 2017. Um dos motivos para isso, de acordo com o estudo, é que esse público ainda continua consumindo refrigerantes, bebidas extremamente açucaradas e fast foods.

 

 

A boa notícia é que os índices de obesidade estão caindo cada vez mais com o avançar da idade. Fator justificado pela inclusão de hábitos alimentares saudáveis e prática de exercícios na vida do idoso.

A Vigitel também apresentou que o brasileiro está consumindo menos refrigerante e fazendo mais exercícios, o que é muito bom por sinal. Mas isso não basta para despencar os níveis de obesos do país e acabar de vez com esse problema de saúde pública.

Responsáveis pelo estudo afirmaram que é necessário fiscalizar melhor a indústria alimentícia, deixar mais exigente as políticas de rótulos dos alimentos e levar mais informação à população. Só dessa forma será possível combater a obesidade de vez e trazer mais saúde ao brasileiro.

Perigos do sobrepeso

Para piorar a situação, outros estudos têm revelado os perigos escondidos no sobrepeso e na obesidade. Os riscos aumentam para o caso de gordura visceral, aquela encontrada na barriga e em volta dos órgãos abdominais.

Diversos levantamentos ligaram essa gordura a riscos de câncer, problemas cardíacos, diabetes, pressão alta e muitas outras doenças perigosas. O alerta fica ainda mais evidente para as mulheres após a menopausa, já que o acúmulo de gordura nessa região fica mais acentuado nesse período.

Mesmo com boas notícias trazidas pela Vigitel, a obesidade ainda está longe de ser controlada no Brasil. E todos precisamos fazer a nossa parte: médicos, farmacêuticos, comunidade e poder público.

Faça a sua parte para conscientizar quem você ama e compartilhe este post em suas redes sociais agora mesmo!

Assuntos relacionados: OBESIDADE NO BRASIL