Blog


04/01/2018 Medicina

Especialidades médicas: Genética médica

Conheça essa especialidade médica com o menor número de integrantes, mas com diversas oportunidades de trabalho!

Especialidades médicas: Genética médica

O profissional formado nessa especialidade médica também é chamado de geneticista. Cabe a ele cuidar de distúrbios genéticos e doenças hereditárias, atuando tanto no tratamento como na prevenção e diagnóstico dessas patologias.

A primeira residência dessa área de atuação criada no Brasil foi em 1977, mas apenas em 1983 é que ela foi de fato reconhecida como uma especialidade médica.

Em 1986 foi fundada a Sociedade Brasileira de Genética Médica (SBGM) que, junto ao Conselho Federal de Medicina, ficou responsável pela regulação dessa profissão.

Em 2015, um senso demográfico dos profissionais dessa especialidade médica estimou que existiam 241 médicos geneticistas no país. Por causa disso, essa é considerada a especialidade médica com menos profissionais de toda a medicina. A lista completa dos médicos geneticistas pode ser conferida diretamente no site da entidade.

 

 

Responsabilidades do geneticista

Cabe a esse profissional estudar, diagnosticar e tratar os distúrbios da genética humana. O tratamento pode ser realizado por atendimento clínico, aconselhamento genético ou avaliações diagnósticas.

Entre as doenças tratadas por esse especialista, estão:

  • Erros inatos ao metabolismo;
  • Displasias esqueléticas;
  • Doenças de depósito lisossômico;
  • Riscos gestacionais (idade avançada da mãe, histórico familiar de doenças hereditárias, etc.);
  • Amniocentese;
  • Biópsia de vilosidade coriônica;
  • Distúrbios da diferenciação sexual;
  • Defeitos craniofaciais ou fendas labiais/ palatinas;
  • Genéticas de outras doenças (câncer, problema cardiovasculares, entre outras);
  • Defeitos congênitos;
  • Autismo;
  • Estudos cromossômicos, metabólicos e moleculares;
  • Terapia genética;
  • Entre outros.

Além de atuar no atendimento clínico ao paciente, o geneticista pode trabalhar em laboratório e ficar a frente de estudos sobre a genética humana. Outra alternativa para essa especialidade médica é trabalhar em clínicas especializadas em genética humana, ou mesmo em uma equipe multidisciplinar para apoio no diagnóstico de doenças hereditárias.

Como se especializar em genética médica?

A formação na genética médica leva, em média, 9 anos para ser concluída no Brasil. Nesse período está incluso os 6 anos da faculdade de medicina, mais 3 anos de especialização na área de genética médica.

Durante a especialização, o futuro geneticista irá aprender sobre atividades ambulatoriais e especialidades externas. O curso também compreende o estudo teórico da genética básica e da Biologia Molecular.

O órgão responsável pela certificação dos profissionais é a SBGM (Sociedade Brasileira de Genética Médica). A entidade já reconhece 10 programas de residência em genética médica espalhados pelo Brasil que oferecem 16 vagas anuais para se especializar como geneticista.

Gostou de aprender mais sobre a genética médica? Inscreva-se em nossa newsletter para receber em primeira mão os outros posts da série especialidades médicas!