Blog


27/10/2017 Notícias

Combate a dengue: Começa a semana de prevenção ao Aedes Aegypti e suas doenças!

Iniciativa do Governo engaja mais de 200 mil instituições. Veja como fazer sua parte!

Combate a dengue: Começa a semana de prevenção ao Aedes Aegypti e suas doenças!

Começou quarta-feira (23) a semana de prevenção e combate ao Aedes Aegypti. O mosquito é responsável por diversas doenças como dengue, zika e chikungunya. Com o verão se aproximando a incidência dos focos do inseto tendem a aumentar e Governo Federal quer se precaver antes da chuva.

São 210 mil instituições engajadas na campanha, que começou em 2015, entre escolas, unidades de saúde, centros sociais e outros. O intuito é prevenir os focos do mosquito para não precisar lidar com as consequências patológicas mais tarde, segundo o Ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Os estados e municípios da federação têm liberdade para criar suas próprias iniciativas de combate e prevenção ao mosquito. Entretanto, os projetos são acompanhados de perto pela Sala Nacional de Coordenação e Controle, criada para frear a microcefalia no país.

Combate à dengue começa a surtir efeitos

A redução das mortes e infecções causadas pelo Aedes Aegypti vem crescendo desde 2016, quando o Ministério da Saúde revelou uma redução de 46,9% dos óbitos em relação ao ano de 2015.

Para esse ano (2017) as expectativas são ainda melhores. De acordo com o MS foram 219.040 casos até setembro, contra 1.483.623 do ano anterior. Uma redução impressionante de 85,2% dos casos e um bom sinal que o combate à dengue vem melhorando.

Infelizmente, ainda estamos longe de curtir o verão sem o aparecimento desses mosquitos e suas doenças. Por isso, o cuidado ainda deve ser mantido!

Responsabilidade da equipe médica sobre a dengue

Todos precisam se engajar nessa luta de combate a dengue e outras doenças causadas pelo Aedes Aegypti. A eliminação de focos do mosquito é uma das frentes mais promissoras nessa batalha, mas não a única.

Além da limpeza de terrenos baldios e a extinção de recipientes com água parada, a educação em saúde também é importante para abrir os olhos da população. Nesse contexto, médicos e enfermeiros têm uma parcela importante.

Os agentes de saúde e equipe médica precisam atuar ativamente frente à prevenção da doença e conscientização dos pacientes. Esse trabalho começa com a distribuição de panfletos e materiais visuais, mas pode se estender a frentes mais ativas também.

Clinicas e laboratórios, por exemplo, podem investir em palestras educacionais sobre o tema. Tais encontros ajudam a tirar dúvidas da população a respeito da doença, bem como trazer dicas para o combate à dengue.

Com a época mais quente do ano se aproximando e as chuvas surgindo no horizonte, todos precisam fazer a sua parte. Afinal, um mosquito não pode vencer toda uma população unida.